terça-feira, 2 de novembro de 2010

ATIVIDADE - 02 / Questões do SPAECE (Fonte. Relatório Técnico-Pedagógico de Língua Portuguesa )

Ed. Abril, 1980, p.18.)


(Descritor 10) -
01. Texto: I . CARTA DE PERO VAZ DE CAMINHA
(Fragmento)
Na noite seguinte ventou tanto sueste com chuvaceiros, que as naus desviaram-se do rumo, e especialmente a capitânia.
(CAMINHA, Pero Vaz de.Carta a El Rey Dom Manoel. Versão moderna de Rubem Braga, Record, 1981.)

Texto II
ERRO DO PORTUGUÊS

Quando o português chegou
Debaixo duma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de sol
O índio tinha despido
O português.
(ANDRADE, Oswald de Pau Brasil, Globo,1990.)

A semelhança entre os textos I e II acontece, quando os autores se referem
(A) ao índio.
(B) a naus.
(C) ao sol.
(D) aos ventos.
(E) à chuva.

(Descritor 19)-
02. AOS POETAS CLÁSSICOS

Poetas niversitário,
Poetas de Cadêmia,
De rico vocabularo
Cheio de mitologia;
Se a gente canta o que pensa,
Eu quero pedir licença,
Pois mesmo sem português
Neste livrinho apresento
O prazê e o sofrimento
De um poeta camponês.

Eu nasci aqui no mato,
Vivi sempre a trabaiá,
Neste meu pobre recato,
Eu não pude estudá.
No verdô de minha idade,
Só tive a felicidade
De dá um pequeno insaio
In dois livro do iscritô,
O famoso professô
Felisberto de Carvaio.
(Patativa do Assaré, Canta aqui que canto lá.)

. Na poesia de Patativa do Assaré, percebe-se a ocorrência de um tipo de variante lingüística, que foge às regras das competências da linguagem formal ou padrão. Contudo, verifica-se que tal linguagem pertence a uma classe específica de falantes da língua que vivem no meio:
(A) familiar.
(B) fraterno.
(C) rural.
(D) acadêmico.
(E) político.

(Descritor 22) -
03. TEXTO:
Não adiantava nada que o céu estivesse azul
porque a alma de Nicolino estava negra.
– Ei, Nicolino! NICOLINO!
– Que é?
– Você está ficando surdo, rapaz! A Grazia passou agorinha mesmo.
– Des-gra-ça-da!
– Deixa de fita. Você joga amanhã contra o Esmeralda?
– Não sei ainda.
– Não sabe? Deixa de fita, rapaz! Você...
– Ciao.
– Veja lá, hein! Não vá tirar o corpo na hora. Você é a garantia da defesa.
A desgraçada já havia passado.
(MACHADO,Antônio de Alcântara. Novelas paulistanas. Rio de Janeiro: José Olímpio, 1981. p. 22-3)

No texto, a palavra NICOLINO foi grafada com maiúsculas porque o interlocutor teve a intenção de
(A) atrair a atenção do leitor.
(B) criticar o Nicolino.
(C) chama-lo mais alto.
(D) expressar um vocativo.
(E) valorizar Nicolino.

(Descritor -14) -
04. TEXTO:
OLHOS DE LORENZO
Um pai fica desesperado ao saber que o filho é portador de uma doença degenerativa e só tem mais dois anos de vida. Contra o ceticismo dos médicos, ele cria um remédio caseiro que salva o garoto, o pequeno Lorenzo. Parece roteiro de filme. E é. Levado ao cinema em 1992, com Nick Nolte no papel do pai, o drama agora chegou a um final feliz. Em setembro, o neurologista Hugo Moser, do Kennedy Krieger institute, em Baltimore, nos Estados Unidos, divulgou os resultados de uma pesquisa que prova a eficiência do óleo de Lorenzo (uma mistura dos ácidos oléico e erúcico no combate à adrenoleucoditrofia (ALD). A doença leva à perda de melanina. Sem ela, o portador pára de se mover, ouvir, falar e respirar.
(MIRANDA, Celso. Revista Superinteressante. Ed. Abril, nov. 2002)

Na frase “E é” uma expressão foi omitida para evitar repetição. Trata-se de
(A) ceticismo dos médicos.
(B) doença degenerativa.
(C) portador de doença.
(D) remédio caseiro.
(E) roteiro de filme.

(Descritor 01)
05. TEXTO:
A TELEVISÃO E A VOLTA ÀS CAVERNAS

Camões comunica-se conosco, quatro séculos depois de sua morte, porque se utilizou dessa ferramenta insubstituível que é a palavra num papel, ou papiro, ou numa prensa.
(TOLEDO, Roberto pompeu de. VEJA, 25 jun. 1997.)

No texto, Camões depois de sua morte,
(A) comunica-se conosco.
(B) substitui o papel.
(C) transforma a prensa.
(D) usa o papiro.
(E) utiliza-se de ferramentas.

(Descritor -05)
06.TEXTO:
CIDADEZINHA QUALQUER

Casas entre bananeiras
Mulheres entre laranjeiras
Pomar amor cantar.

Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.

Devagar as janelas olham,

Eta vida besta, meu Deus>
(ANDRADE, Carlos Drummond de. Literatura comentada. São Paulo: Abril, 1980, p.18/19)

Os versos “Um homem vai devagar/ Um cachorro vai devagar/Um burro vai devagar” indicam
(A) agitação da cidade.
(B) monotonia da cidade.
(C) pobreza da cidade.
(D) pressa do povo.
(E) tristeza do povo.
07.TEXTO:
As primeiras linhagens com células troncos (CTS) embrionárias surgiram em 1998, e junto com elas a enorme expectativa de seu uso terapêutico. Porém, antes de começarmos testes clínicos injetando (CTS) embrionárias em seres humanos, temos algumas questões fundamentais que devem ser resolvidas.
(PEREIRA, Lygia V. Revista Scientific American, p. 20. Nº 35 – abril/2005)
O texto é
(A) descritivo.
(B) humorístico.
(C) informativo.
(D) narrativo.
(E) poético.

(Descritor05)
08. TEXTO: NO MEIO DO CAMINHO (Fragmento)

No meio do caminho tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
Tinha uma pedra
No meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
Na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
No meio do caminho tinha uma pedra.

(ANDRADE, Carlos Drummond de. Literatura Comentada.


Ed. Abril, 1980, p.18.)


O verso “No meio do caminho tinha uma pedra” informa que
(A) existem obstáculos ao longo da vida.
(B) a pedra impede nossa passagem.
(C) o caminho é feito de pedras.
(D) os olhos enxergam apenas pedras.
(E) o caminho não tem pedras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário